Pilates para gestantes

Pilates para gestantes

Durante o período gestacional ocorrem diversas mudanças no organismo de uma mulher, não apenas hormonais e emocionais, mas também físicas, destacando-se principalmente as mudanças posturais. Alteração do centro de gravidade, rotação da pelve, anteriorização da cabeça, aumento da curvatura lombar e da curvatura cifótica e maior elasticidade dos ligamentos e fáscias, que predispõem a  sintomas como dor na região lombar, queixa comum das gestantes durante esse período.

Gradativamente, a gestante aumenta o seu peso ao longo da gestação. Além do aumento do peso, uma série de outras mudanças no corpo acompanha o período gestacional da mulher. As transformações são totalmente naturais e necessárias, pois à medida que o bebê se desenvolve o corpo feminino precisa se adaptar à realidade.
O útero aumenta o seu volume para acomodar o bebê, assim como vários tecidos do corpo também sofrem alterações. Os hormônios da gravidez também estimulam adaptações no corpo materno, ex.: Progesterona, Estrógeno e a Relaxina. De modo geral, todos os órgãos e sistemas do corpo da gestante passam por profundas mudanças e que acabam contribuindo para gerar alguns possíveis impactos negativos para a mulher.
Surgem dores em diversas regiões, inclusive na coluna vertebral que é uma das mais afetadas pela sobrecarga que as mudanças promovem. Quando as estruturas corporais não estão bem preparadas para essas alterações, as dores são inevitáveis, principalmente, na região lombar. Essas reações dolorosas também podem ser provenientes de tensões musculares, em virtude de desvios posturais já existentes ou adquiridos durante o período gestacional.

Os principais benefícios do Método Pilates durante o período gestacional estão relacionados com:

A melhora do suporte do peso da barriga, combatem o inchaço e ainda facilitam o nascimento no parto normal, além de diminuir o risco de incontinência urinária na gravidez e também no pós-parto. Outros benefícios do Pilates na gravidez são:

• Combate a dor e o desconforto nas costas;
• Maior controle sobre o peso;
• Melhor condicionamento físico;
• Melhora a respiração;
• Melhora a circulação sanguínea;
• Maior oxigenação do bebê.

Além disso, a prática regular de Pilates durante a gestação acalma o bebê por haver uma menor concentração de cortisol na corrente sanguínea da mãe. O cortisol é um hormônio que encontra-se em maior quantidade no sangue quando estamos cansados e estressados.

Quando não praticar Pilates na gravidez:

As contraindicações do Pilates na gravidez são relativas e não existe nenhuma que seja absoluta. Desde que a mãe e o bebê estejam saudáveis e o profissional que a acompanha tenha ampla experiência em trabalhar com Pilates na gravidez, os riscos são praticamente inexistentes. No entanto, deve-se estar atento a alguns sinais que podem indicar que esta não é a melhor hora de praticar os exercícios, como por exemplo:
• Batimento cardíaco acelerado;
• Pressão alta descontrolada;
• Falta de ar;
• Dor abdominal;
• Sangramento vaginal;
• Contrações muito fortes ou muito próximas;
• Dor no peito.
O obstetra deve ter conhecimento que a gestante está praticando este tipo de atividade física, pois em alguns casos é mais indicado não praticar nenhum tipo de atividade física durante a gravidez, especialmente se houver risco de aborto, se as contrações estiverem muito frequentes, se houver sangramento vaginal, ou se alguma doença for detectada como por exemplo pré-eclampsia, doença cardíaca ou pulmonar. Nestes casos não é somente o Pilates que é contraindicado, mas qualquer tipo de atividade física (principalmente de alta intensidade)que possa comprometer o estado de saúde da mãe ou do bebê.